10 jun 2020by admin

CONHEÇA OS BATERISTAS MAIS MARCANTES DA MÚSICA

CONHEÇA OS BATERISTAS MAIS MARCANTES DA MÚSICA

Está afim de se inspirar, usando referências do mundo da música e conhecer ou revisitar os bateristas mais marcantes da história da música? Vem com a gente!

– Travis Barker
Travis é baterista do Blink- 182 e é um dos mais famosos bateristas do novo milênio, especialmente por conta do hardcore mais sensível, estética skatista, apelo pop e o visual em geral. Além disso ele é um artista de estilo animalesco, que se apresenta de forma feroz e não tem medo de ser teatral e dramático.

– Steven Adler
As batidas tensas porém ritmadas e a energia ilimitada são as marcas de Adler, baterista do Guns N’ Roses. Ele tem um estilo de tocar único, insubstituível, uma energia jovial e cheia de fogo, que acendia o palco de qualquer show do Guns. Apesar de Steven ter sido demitido da banda em 1990 e substituído por bateristas com técnica mais avançada, ninguém conseguiu capturar sua essência exuberante e pulsante no palco.

– Cindy Blackman
Em 1993, Blackman deixou uma banda de jazz para fazer parte da banda de Lenny Kravitz, o que mudou toda a sua carreira. Ela tinha uma presença e um jeito de tocar tão marcante que, logo depois, aparecia no vídeo de “Are You Gonna Go My Way”. Ela tocava um beat por horas e acabava lapidando para que fosse um ritmo irresistível, como Lenny gostava, e depois adicionava, digamos, um recheio especial a cada um deles. Cindy tinha um instinto de improviso incrível, rapidez e muito poder ao tocar, além de ser uma música versátil.

– Meg White
Meg White é fundamental para o apelo irresistível do White Stripes. Algumas das mais famosas faixas da banda só tinham vida quando Meg começava a tocar, adicionando simplicidade, ousadia e um ritmo único.
Meg foi descrita inúmeras vezes como a vida da banda e uma antítese aos bateristas modernos e, apesar de ser calada e singela, no palco ela era furiosa.

– Ronald Shannon Jackson
Jackson foi de tocar com ícones do jazz avant-garde para o estrelato por causa das misturas de ritmos que fazia. Incorporou ritmos diferentes, parade-drumming, ritmos Africanos e funk, tornando seu estilo singular e reconhecível, sendo aclamado pela crítica com seu Decoding Society. Ele sintetizava blues e música africana com um olhar de quem sentia diferentes emoções e as adicionava às músicas e ritmos.

– Stewart Copeland
The Police só tem o som incrível e único que possui por conta da maestria de Copeland em usar o espaço de forma sutil e agressiva ao mesmo tempo. O fato de ter morado em diferentes locais e conhecido muitos ritmos era refletido claramente em seu estilo, deixando The Police com um ritmo cheio de sotaques diferentes dos Ingleses. Stewart trazia energia e foco ao shows da banda, deixando todos os músicos impressionados com o jeito que atacava a bateria, tocava com paixão e formava sons incríveis e inimitáveis.

– Keith Moon
O incrível Keith Moon, que inspirou o personagem Animal dos Muppets, destruía kits de bateria e quartos de hotel com ferocidade, performando na vida e nos palcos com a mesma sede e juventude. Ele ficou famoso por se recusar a tocar solos de bateria e, ao invés disso, transformar a bateria no instrumento mais importante do The Who. Suas batidas eram melódicas pois ele tentava tocar com todos da banda ao mesmo tempo, revolucionando o som. Moon orquestrava a banda, fazia você perceber qual a parte mais importante de uma canção, dava um drama às faixas e conferia emoção a todas elas.

– John Bonham
Bonham, com o Led Zeppelin, mudou a bateria e o rock para sempre. A combinação de baixo e bateria nas músicas, o impacto que tinha em quem ouvia. A música se tornava pesada, viva, virtuosa e emocionante, crescendo aos ouvidos de quem ouvia, encantado. Todos os bateristas respeitáveis que vieram depois concordam: passaram anos da juventude tentando emular o som de Bonham, sua rapidez ou força na hora de tocar.

Categories: Produtos

Leave a reply

%d blogueiros gostam disto: